14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, Exposição Nacional de Orquídeas, Oficina de Dança Danceability, Halloween no Vicentina com Rodrigo de Oliveira e Cinema ao Ar Livre, Oficina de Panificação, Música no Parque com Ully Costa, Exposição Zebrafish e mais!

 

Nesta quinta-feira (26) das 13h30 às 17h, O Parque Vicentina Aranha recebe parte das atividades da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT 2017, um sarau [ma]temático artístico e uma feira de ciências. A SNCT é promovida em todo o Brasil para popularizar a ciência e mostrar a relevância da tecnologia e inovação para o desenvolvimento do Brasil e, em 2017, apresenta o tema A Matemática está em tudo. O sarau será um espaço para expressões artísticas relacionadas ao tema, realizadas por estudantes de 15 escolas públicas de SJC, Caçapava, Lorena, Ubatuba, Campos do Jordão, Vargem Grande do Sul, Mauá, Itú, Paraibuna, São Paulo e Angra dos Reis. Na feira de ciências, os estudantes irão mostrar experimentos e produtos resultantes de pesquisas em meteorologia, prevenção de desastres socioambientais, engenharia e ciência espacial, geografia e a própria matemática, entre outras áreas. A SNCT é uma realização do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN) e da UNESP Universidade Estadual Paulista, com o apoio do Parque Vicentina Aranha, do Projeto Ciência no Parque e do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). A programação conta com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).


Ainda na quinta (26) a partir das 20h, violeiros e simpatizantes são convidados para umaRoda de Viola e Causos, um grupo espontâneo que se reúne mensalmente no Parque para tocar viola caipira e trocar experiências sobre este instrumento que representa a cultura popular nacional.

A partir de sexta-feira (27) às 19h, até domingo (29) às 16h, o Parque Vicentina Aranha têm o prazer em receber a Exposição Nacional de Orquídeas, organizada pela a União Joseense de Orquidófilos. O encontro objetiva divulgar a orquidofilia, manter a tradição entre as associações de orquidófilos do Brasil, além de conscientizar o publico quanto à preservação das espécies e do cuidado e manutenção do meio ambiente.
O evento, além de encantar o publico com espécies raras e exóticas de orquídeas premiadas entre mais de 20 cidades participantes de três estados brasileiros, oferece palestras e oficinas sobre cultivo e manutenção destas plantas e também sobre arranjos de orquídeas. São mais de 80 mil espécies em todo mundo, sendo 50 mil encontradas na natureza e 30 mil espécies criadas em laboratório, a partir do cruzamento de espécies diferentes. O Brasil é um dos países mais ricos nesse tipo de planta são 2.500 espécies. A exposição também apresenta um espaço sensorial dedicado às pessoas com deficiência visual, onde o visitante poderá sentir folhas secas nos pés, tocar nas plantas, sentir seu perfume e ouvir uma musica ao fundo. O visitante poderá ainda adquirir sua orquídea favorita na exposição de produtores regionais durante o evento.

Termina na quarta-feira (25) o prazo de inscrições para a Oficina de Dança “Danceability”, com o Núcleo de Dança Aberta, que ocorrerá na Sala Réginaldo Poeta no próximo sábado (28) das 10h às 13h. O Danceability é um método de dança que utiliza a improvisação de movimento para promover a expressão e a troca artística entre pessoas com diversas habilidades, idades e origens, com e sem deficiência, que tenham interesse em experimentar seu corpo em movimento e a comunicação que nasce dessa experiência. O Projeto DanceAbility foi fundado por Alito Alessi e Karen Nelson nos Estados Unidos, em 1987. Sob a liderança de Alessi, esse projeto vem criando comunidades de dança integradas por pessoas de diferentes culturas e habilidades físicas nos EUA, Europa, América Central e América do Sul. A atividade é direcionada para pessoas com e sem deficiência, com ou sem experiência em dança, com interesses nas áreas de artes, educação, terapias e quaisquer áreas de atuação que trabalham com a inclusão. As inscrições são gratuitas devem ser feitas pelo site www.nucleodancaaberta.com. Vagas limitadas. 

O clima do Halloween chegou no Parque Vicentina Aranha! Com mais de 60 mil seguidores nas redes sociais, o escritor Rodrigo de Oliveira é autor da saga As Crônicas dos Mortos, a maior coleção de livros nacional de apocalipse zumbi, que tem como característica marcante histórias e personagens ambientados no Vale do Paraíba. Sendo uma das maiores referências no gênero literário ficção-científica e horror, ele também é reconhecido pelo livro Os filhos da tempestade, e vem ao Parque Vicentina Aranha no sábado (28) às 17h45, dialogar sobre sua obra e desbravar sobre as teorias do Apocalipse Zumbi. Para entrar no clima do encontro, que antecede uma Sessão de Cinema ao Ar Livre, os frequentadores do Parque são convidados a virem caracterizados com temas de horror/zumbi, tornando a experiência ainda mais divertida. 

Está aberta uma votação na página do Parque no Facebook até o dia 27/10 às 12h, para escolha de um entre seis filmes que permeiam o universo do terror, para exibição no sábado (28) às 19h no Cinema ao Ar Livre do Parque. O Halloween tem suas raízes no Reino Unido. Hallow é um termo antigo para “santo”, e eve para “véspera”. O termo designava, até o século 16, a noite anterior ao Dia de Todos os Santos, celebrado em 1º de novembro. No mundo moderno, o Halloween é uma data para brincadeiras, usar fantasias e pregar sustos, principalmente na cultura norte americana. Estão em votação os títulos: “REC” (2007), “Meu Namorado é um Zumbi” (2013), “Paranorman” (2012), “Os Fantasmas se Divertem” (1988), “Invasão Zumbi” (2016) e “Guerra Mundial Z” (2013).

No domingo (28), ao lado da Feira Agroecológica no Parque que ocorre todos os domingos das 09h às 13h30, o Projeto Vicentina Qualidade de Vida oferece uma Oficina de Panificação Natural às 10h. O encontro abordará temas pertinentes á panificação natural, seus benefícios, conservação, ingredientes e como preparar um delicioso pão caseiro. Com Julija Bogomolova, bacharel em administração pela Univerdade Concordia no Canadá e Cooking and Hospitality Institute of Chicago, Chicago, IL, E.U.A. Diploma Le Gordon Blue, Concordia University, Montreal, Canadá, Bacharelado em Administração da Amo Bolos.

A partir de domingo (29) às 10h até o dia 05/11, o Projeto Ciência no Parque recebe aexposição itinerante Plataforma Zebrafish: a construção de uma rede. Realizada pela Plataforma Zebrafish do Centro de Toxinas, Resposta-Imune e Sinalização Celular (CeTICS), a exposição conta com desenhos, fotografias, projeto gráfico e comunicação visual integram a mostra, que retrata formas de uso do também conhecido como “peixe paulistinha” como modelo de pesquisa, além de curiosidades sobre o animal, como a explicação de suas cores e tamanhos. O Instituto Butantan é referência no manejo e criação do peixe e tem um criadouro com capacidade para 6 mil peixes adultos. Ele pode ser utilizado em pesquisas científicas em diferentes áreas, como virologia, toxicologia, psicologia, regeneração de tecidos, tumores, manipulação genética e agentes terapêuticos. Por ser um animal de pequeno porte e com alta taxa reprodutiva, similar à dos mamíferos, o zebrafish pode substituir ou complementar os estudos nesses animais.
A exposição itinerante, coordenada por Mônica Lopes-Ferreira, percorrerá 21 instituições brasileiras, componentes da Rede Zebrafish. A UNIFESP e o Parque Vicentina Aranha serão os locais onde a mostra poderá ser vista pelo público joseense a partir de 16 de outubro, iniciando pela UNIFESP no Parque Tecnológico.


O Projeto Música no Parque apresenta às 10h30 (28) o show Quem sou Eu, título do primeiro disco solo da cantora Ully Costa. Além de seu trabalho de 11 anos à frente da bandaSandália de Prata, Ully é integrante do grupo Vozes Bugras e acaba de lançar seu primeiro trabalho solo, com o disco Quem sou eu, produzido por Leonardo Mendes. São ao todo nove composições que bebem da herança musical da artista, de ascendência indígena e negra. O show será uma mostra do seu trabalho com influências do samba, afro-jazz e MPB.

Letícia RZucco


Letícia Zucco, 21 anos, estudante de Letras - Português/Inglês blogueira e booktuber no Estante LZ. Ama livros e costuma gritar para todos os cantos que a leitura liberta.

Deixe seu comentário