Preparados para o ENEM? Ou perdidos com toda essa confusão? Enfim, para alguns alunos que irão realizar (se forem) o Exame Nacional do Ensino Médio esse final de semana foco, força e fé e para quem vai fazer depois não desanima com a mudança vamos que vamos.

A dica de leitura de hoje é especialmente para vocês.

 

”Malala carregava o nome de uma guerreira que viveu há mais de 150 anos naquela região, mas na época ainda não existiam fronteiras entre Paquistão e Afeganistão.”

 

O livro de hoje conta a história de uma menina que só queria estudar. Escrito pela jornalista Christina Lamb a obra Eu sou Malala é a biografia de uma figura que veio a se tornar referência quando o assunto é educação, mulheres e luta. Malala Yousafzai.

Nascida no Paquistão no Vale do Swat, Malala por ser mulher já era refém de algumas restrições, o que é comum para nós aqui no Brasil como, por exemplo, sair à rua sozinha lá era proibido e com a chegada do grupo extremista Talibã a situação só piorou queriam tirar o direito das mulheres de estudar, mas era o que Malala mais gostava de fazer.

O livro é divido em cinco partes (‘’Antes do Talibã’’, ‘’O vale da morte’’, ‘’Três meninas, três balas’’, ‘’Entre a vida e a morte’’ e ‘’Uma segunda vida’’) antes da chegada do grupo Talibã Malala nos conta sobre costumes dos paquistaneses e um pouco sobre o país, segundo a garota a dominação do Talibã começou aos poucos com a manipulação da massa através de rádios clandestinos e quando o povo percebeu já havia postos policiais e o domínio do Talibã.

Bandeira do Paquistão
Bandeira do Paquistão

Malala é uma garota de sorte, nasceu numa filha não muito tradicional, seu pai Ziauddin Yousafzai não se beneficiava com as suas vantagens de ser homem no Paquistão, ele é revolucionário e tem intolerância a injustiça (chegou a comemorar o nascimento da filha como faziam apenas quando nascia filho homem) e como não poderia ser diferente ele se tornou inspiração para própria filha que começou a se opor contra o novo sistema e lutar pelo seu direito a educação.

09 de outubro de 2012 era um dia ‘’normal’’ para meninas que mesmo com medo frequentavam a escola, elas conversavam sobre o futuro na área medicinal, mas foram interrompidas quando um homem entrou na van procurando por Malala.

 

downloadTítulo: Eu sou Malala
Autor(a): Christina Lamb, Malala Yousafzai 
Editora: Companhia das letras
Páginas: 342

Classificação: 

14080987_1190501167678685_1623272702_n14080987_1190501167678685_1623272702_n14080987_1190501167678685_1623272702_n14080987_1190501167678685_1623272702_n

 

 

Onde comprar: Saraiva / Livraria cultura / Americanas / Submarino

‘’Malala insultou os soldados de Deus, os Talibãs, e por isso será punida. ’’

 

Malala foi baleada na cabeça e ficou entre a vida e a morte, mas se recuperou e não parou as lutas, atualmente junto ao pai estão numa jornada incansável para que todas as meninas tenham acesso à educação, principalmente nas comunidades mais vulneráveis.

Na época em que o livro foi escrito Malala estava concorrendo ao Prêmio Nobel da paz e ganhou (é a pessoa mais jovem a receber o prêmio).

floral-309762_1280

O livro tem uma pegada bem juvenil o que em minha opinião facilitou muito o entendimento por tratar em alguns pontos de assuntos um tanto complexos e isso acaba fazendo com que a leitura seja rápida e envolvente.

Malala é um exemplo do luta e coragem, por isso resolvi indicar seu livro num dia de tanta aflição e expectativa dos estudantes brasileiros, o dia do ENEM. Vocês meninas que estão lendo esse texto tem acesso livre a educação, apesar das condições que algumas escolas públicas proporcionam, mas o mínimo vocês têm que é o acesso. Inspirem-se em Malala, deem o melhor de vocês na prova e BOA SORTE!

Letícia RZucco


Letícia Zucco, 21 anos, estudante de Letras - Português/Inglês blogueira e booktuber no Estante LZ. Ama livros e costuma gritar para todos os cantos que a leitura liberta.

Deixe seu comentário